Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2018

Por que dizer "EU TE AMO" é tão difícil

Imagem
Por que dizer "EU TE AMO" é tão difícil A resposta parece simples, mas não é. A expressão "EU TE AMO" traduz um conjunto de sentimentos nobres (cuidado, apego, carinho, amizade, aceitação, comprometimento, intimidade, doação, respeito, admiração). E por serem nobres são muito frágeis. Quando se ama alguém, espera-se (no mínimo) o mesmo sentimento. Poucas pessoas conseguem dar  um amor incondicional.  Ao declarar que amamos alguém, estamos dizendo que a presença deste indivíduo em nossa vida promove bem estar, leveza, aumenta nossa libido e autoestima; melhora nosso humor, faz nossos olhos brilharem de contentamento; promove uma "chuva de endorfinas" capaz de nos curar da tristeza e da apatia. Isto equivale a dizer que se esta pessoa não quiser nosso amor, possivelmente passaremos pelo processo inverso: mal estar, mau humor, dificuldade pra dormir, pra trabalhar, tristeza, desânimo, apatia, etc. Portanto, declarar o amor para algu

Não precisamos da aprovação alheia

Imagem
“Para se fazer grandes coisas não se deve estar acima dos homens, mas junto deles.” Montesquieu Vamos refletir: Precisamos realmente de aprovação alheia?  Percebe-se que algumas pessoas se movimentam mais do que o necessário para agradar os que vivem à sua volta, sofrendo prejuízos consideráveis na individualidade.  Em geral, buscam agradar ao outro para:  a) Que sejam aceitos, recebendo afeto, admiração, carinho e amor; Algumas pessoas convivem em ambientes áridos, onde não há afeto, ou estes são pouco percebidos. E para contornar ou reverter esta situação, tendem a se sacrificar, emitindo comportamentos, as vezes exagerados, para chamar a atenção alheia, e receber (talvez) uma migalha de afeto, algo que indique que sua presença ali é minimamente bem vinda. Estas pessoas, as vezes abrem mão da sua capacidade crítica, apenas para agradar ao outro, passando a pensar e agir como o outro quer, ou imitando o outro. b) Que não sofram críticas, punições, retaliações

Como lidar com a raiva

Imagem
Etmologia:  Angere (inglês) = Angústia; Rabies (latim) = doença canina (Carvalho e Carvalho, 2010) Desdobramentos: cólera, ira, fúria, rancor, ódio, desejo de agredir ou destruir A raiva é uma emoção natural que sentimos quando passamos por alguma contrariedade, ou quando nossos desejos e ações são frustrados. Conhecida como um "sentimento negativo", ao qual fomos ensinados a reprimir ou negar. Mas se é natural e inerente ao ser humano, por que negá-la ou reprimi-la? A negação da raiva (e de outros sentimentos menos nobres) está relacionada à educação que recebemos dos adultos. Quando crianças, muitas vezes éramos punidos quando expressávamos (publicamente) a raiva por meio de choro, birras, gritos, etc. Quando crescemos, a tendência é continuar reprimindo a raiva, seja para não sofrer punição,ou para garantir algumas gratificações. Historicamente a repressão da raiva e seus desdobramentos está relacionada ao fato de que na idade média, um

É amor, só sexo ou amizade?

Imagem
Não confunda. Muitas pessoas (homens e mulheres) me procuram para ajudar a construir uma relação mais saudável com alguém que encontrou apenas uma vez e .... sumiu (ou está sumindo aos poucos). Geralmente, tiveram alguns  encontros ótimos, houve química emocional, física, intelectual, mas depois esfriou. Eu sei que para a maioria e difícil entender, mas (aparentemente) a química sexual foi tão intensa que confundiu a percepção, levando a pessoa se sentir amada. Porém,  a outra parte não conseguiu manter acesa esta chama (por algum motivo particular dela) e esfriou. Neste caso podemos imaginar que a química era puramente sexual. Quando há interesse das duas partes, a relação evolui. Mas quando este interesse é puramente sexual, geralmente a relação fica "empacada" nas trocas de mensagens eróticas, nudes, etc., sem avançar muito para o território do carinho, da atenção que visam construir um afeto sólido. Pode até virar amor, mas o caminho é longo e tortuoso.

Pessoas que amam demais

Imagem
Pessoas que amam demais Dizem os poetas que o amor é algo sublime, difícil de ser explicado. A neurociência afirma que é um conjunto de manifestações químicas que provoca bem estar no organismo, favorecendo a saúde física e o bem estar emocional. Freud diria que é pulsão de vida, ou seja é a canalização da libido em um objeto. Mas para algumas pessoas é fonte incessante de sofrimento e angústia. O que há de errado? A priori, não há nada errado em amar, mas sim em amar demais! O que é amar demais? É se entregar a uma relação afetiva, onde a outra parte não corresponde na mesma proporção, as vezes fazendo exigências abusivas, levando ao desgaste e ao adoecimento. As pessoas que amam demais são aquelas que não medem esforços para agradar seu parceiro afetivo, vivendo as vezes em regime de "escravidão afetiva", vivenciando relações de dependência em relação ao seu parceiro afetivo. Algumas pessoas não percebem que estão vivenciando uma relação de

Sentimentos: o que são e como compreendê-los

Imagem
O que são sentimentos Para falar sobre sentimentos, é importante falar antes sobre as emoções, as "mães" de todo sentimento. Adicionar legenda As emoções são consideradas por muitos teóricos da Psicologia como reações naturais do organismo diante de determinados estímulos. Podem ser inatas ou aprendidas. As mais viscerais são: o medo, a raiva, a alegria e a vergonha (Casanova, 2009).  O nojo poderia ser encaixado nesta lista, embora seja um sentimento controverso, já que não há consenso sobre suas origens inatas ou aprendidas. A combinação destas emoções, em determinado contexto dá origem a uma gama enorme de sentimentos: O medo - origina sentimentos como pânico, fobias, pavor, terror, horror. A raiva - dá origem a sentimentos como o ódio, o desprezo, a agressividade, a ira e  variações encobertas como a inveja, o ciúme, a frustração, o desejo de vingança, etc. A Alegria - origina sentimentos bons como elação (expansão de si mesmo); excitaç

Amor correspondido.

Imagem
Continuação do texto Vamos falar de amor? O amor correspondido: É fato que quando alguém se apaixona tende a se movimentar no sentido de obter correspondência; busca-se sinais no outro que podem indicar que o investimento afetivo não é em vão. Em alguns casos, os sinais são óbvios, em outros ambíguos e em alguns inexistentes. Quais os sinais que indicam que o amor é correspondido? Considera-se que o amor é a fusão de três constructos: paixão, intimidade e compromisso. (Steinberg, 1986). Da combinação destes constructos originam-se oito formas de amar: Paixão: apego físico, necessidade de tocar e sentir o corpo do outro; pele com pele. Intimidade: vai além da confiança básica, chegando às confidências íntimas; não há medo de julgamento ou rejeição. Exige aceitar o outro como ele é. Compromisso: desejo de estar com o outro apesar de todos os empecilhos; de levar a relação adiante; de manter proximidade. Para que haja correspondência perfe

Discutir a relação é útil?

Imagem
" A linguagem é fonte de mal-entendidos" (Saint-Exupèry) Alguns relacionamentos afetivos começam quando os pares encontram pontos de afinidade entre si:  As pessoas se conhecem e tendem a se analisar mutuamente, a fim de observar os pontos que existem em comum, para que possam estabelecer conexões. E geralmente encontram muitos conectores: as ideias são parecidas, os gostos, o padrão de vida, etc. Mas por algum motivo, o relacionamento (que começou bem promissor) começa a sofrer alguns arranhões, que podem se tornar feridas, úlceras, metástases e ir a óbito. Um destes motivos é a falta de comunicação assertiva: a maioria das pessoas tem dificuldade em expressar sentimentos, emoções e aborrecimentos, e deixam acumular muitas queixas. Mas quando resolver falar, soltam tudo aquilo que ficou reprimido. As discussões entre casais raramente são produtivas, ao contrário, tendem a destruir a comunicação e o respeito, pois no calor do momento, muitas acusaçõ